in , , , , ,

Você também provavelmente tem medo destas coisas mesmo que não admita

A fobia é um tipo de transtorno de ansiedade, definido por um medo persistente de um objeto ou situação, real ou não. Uma fobia geralmente resulta de um pavor extremo, que inicia um medo inexplicável quando estimulado (por exemplo, quando você começa a falar sobre “aranhas” com uma pessoa que tem aracnofobia). Quem apresenta estes sintomas de forma contínua e linear, possui fobia crônica.

A pessoa afetada fará de tudo para evitar (e se afastar) do objeto ou situação, geralmente em um grau maior do que o real perigo representado. Se o objeto ou a situação temida não puder ser evitado, a pessoa afetada terá dificuldades significativas, como ataques de pânico, desmaios e surtos. A agorafobia é frequentemente associada a ataques de pânico, por exemplo. Em geral, uma pessoa comum pode apresentar múltiplos medos – faz parte da natureza humana; no entanto, de forma moderada.

Os tipos de fobias – específicas e sociais, – incluem aquelas para certos animais (especialmente cobras, aranhas, escorpiões e tubarões), situações ambientais (como terremotos e tsunamis), ou situações especiais e desconfortáveis (como ver sangue ou sofrimento alheio). Ocasionalmente, são desencadeadas por uma experiência negativa com o objeto ou situação. A fobia social é quando a situação é temida porque a pessoa está preocupada com o que os outros estão pensando ou nos julgando.

Estatisticamente falando, as fobias afetam cerca de 6-8% da população do mundo ocidental (90-120 milhões de pessoas!) e 2-4% do mundo oriental (110-220 milhões de pessoas). Isto pode ser traduzido como um problema mundial de saúde pública. Só nos Estados Unidos, 7% da população sofre de fobias sociais. Carecem números confiáveis para o Brasil, mas estima-se que atinja 1,5-2,5% dos brasileiros (3-7 milhões de pessoas). Segundo dados da ONU, as mulheres são duas vezes mais afetadas que os homens. As fobias geralmente se originam durante a pré-adolescência e adolescência (dos 10 aos 17 anos), mas pode se tornar uma realidade em qualquer fase da vida, apesar de que as taxas se tornam cada vez mais baixas à medida que as pessoas envelhecem.

Estatísticas à parte, confira abaixo alguns medos que possuímos, mas que nem sempre admitimos que temos ou compartilhamos com nossos amigos ou familiares. Não deixe de comentar qual deles você realmente tem e porque acha que o adquiriu.

1. O medo de pisar nas benditas grades da calçada e acabar caindo em um buraco desconhecido.

2. Ficar preso no trânsito, dentro de um túnel e ele, por acaso, desabar em cima de você.

3. Calçar um sapato e entrar em pânico ao descobrir que algo está dentro dele.

4. Dirigir atrás de um caminhão, daqueles com um carga extremamente pesada (e frouxa), e algo dali se soltar e acertar seu carro com você dentro.

5. Aterrorizante: aparecer um estranho escondido no banco de trás do carro enquanto você dirige.

6. Seu computador superaquecer sozinho, começar a pegar fogo e queimar a sua casa inteira.

7. Esquecer alguma coisa cozinhando no fogão e descobrir isso quando for tarde demais.

8. Bizarro: Um inseto inventar de explorar o seu ouvido e botar ovos no seu cérebro enquanto você dorme.

9. Sozinho em casa, engasgar enquanto come e morrer solitariamente. Pior: encontrarem seu corpo muitos dias depois.

10. Ir ao banheiro em algum lugar distante e abandonado e dar de cara com um rato ou cobra escondido dentro do vaso.

11. Seu carro estragar no meio do nada, num lugar onde não “pega” sinal, tampouco 3G.

12. Planejar um passeio solitário e distante na natureza, escorregar num penhasco qualquer, cair e ficar preso num lugar onde absolutamente ninguém vai te encontrar.

13. Algum bizarro conseguir entrar em seu quarto pela janela.

14. Medo constante: sentir-se estar sendo observado o tempo todo enquanto dorme.

15. Ser arrastado para debaixo da escada rolante por ter ficado com o cadarço do sapato preso aos degraus.

16. Chegar em casa e sentir a sensação de ter um estranho escondido em algum lugar, especialmente aonde há alguma porta fechada.

17. Ter a infelicidade de estar passando por uma ponte no momento exato em que ela começa a desabar.

18. A humilhação de estar passando pelo alarme da loja e ele apitar do nada.

19. Dormir com o pé pra fora do cobertor ou da cama e alguém (ou algo) misteriosamente te pegar.

20. Segurar uma criança recém-nascida e deixá-la, bizarramente, cair no chão.

21. Por fim, a agonia de sentir que alguém está lhe observando pela câmera do PC (ou notebook).

Curtiu o post? Não deixe de compartilhar com seus amigos!

Saiba mais:

Leia mais:

 

 

FAÇA UM COMENTÁRIO

O jeitinho brasileiro é bom, mas o jeitinho carioca é melhor ainda

Artista passa horas organizando objetos naturais em mandalas deslumbrantes – Confira!